Cinco dos sete suspeitos de terem planeado a morte de um homem, em Lisboa, detidos na madrugada de terça-feira, ficaram em prisão preventiva, informou esta quinta-feira a PSP, que em conferência de imprensa explicou o plano que o grupo tinha para matar a vítima, que anteriormente já tinha sido baleada, e se preparava para ser testemunha desse crime. A PSP explicou ainda que conseguiu apanhar os suspeitos quando estes se preparavam para cometer o crime  

Os arguidos, todos de nacionalidade portuguesa e com idades entre os 23 e 45 anos, estão indiciados por tentativa de homicídio, posse de arma ilegal e furto e viciação de veículos automóveis. Todos tinham já antecedentes criminais.

Os suspeitos foram detidos durante uma operação normal de patrulha de agentes policiais, vestidos à civil, nos Olivais, quando se preparavam para colocar em prática um alegado plano para matar um homem, de 40 anos, que havia sido vítima de uma primeira tentativa de homicídio em janeiro, na Avenida de Berlim, em Lisboa, na qual participou um destes sete elementos.

«Um dos detidos é arguido no processo da tentativa de homicídio ocorrida em janeiro. A vítima, que foi baleada nessa altura, ia testemunhar nessa manhã [de terça-feira] durante a instrução desse processo», explicou o comandante da Divisão de Investigação Criminal de Lisboa, Resende da Silva.

Em conferência de imprensa, o intendente acrescentou que os suspeitos se encontravam em duas viaturas, estacionadas em diferentes locais (uma delas estava parada junto à residência da vítima), e que o cenário descoberto pela polícia indiciava que estariam a planear matar a vítima e também testemunha, e depois ocultar o seu cadáver.

«No interior de uma carrinha estavam amarras, que seriam para manietar o ofendido, pás e picaretas novas, possivelmente para depois haver ocultação do cadáver. Na frente seguiam dois dos detidos e na traseira estavam outros três elementos, um deles com uma arma de caçadeira de canos serrados», contou Resende da Silva.

Os dois outros suspeitos – um deles é pai de um arguido que está preso pela tentativa de homicídio da vítima em janeiro -, «que teriam o comando» do plano e que estavam a bordo de outro automóvel, também foram detidos pela PSP.

A polícia apreendeu ainda vários cartuxos de calibre 12 milímetros, balas de calibre militar, dois bastões, luvas, cordas, fita adesiva, dez telemóveis e duas caixas de punções utilizados na viciação de chassis das viaturas.

Durante as seis buscas domiciliárias que se seguiram às detenções, em concelhos da margem sul do Tejo, foram apreendidas sete viaturas de alta cilindrada, furtadas em território nacional, as quais estão avaliadas em 187 mil euros.