A GNR deteve esta quarta-feira, em Albergaria-a-Velha, duas mulheres, de 37 e 52 anos, para cumprimento de uma pena de prisão por um crime de homicídio a que tinham sido condenadas em julho de 2014, anunciou aquela força de segurança.

O caso está relacionado com a morte de um toxicodependente que foi assassinado com um tiro de caçadeira, na tarde de 23 de maio de 2010, numa zona de pinhal situada no concelho de Albergaria-a-Velha.

O alegado autor dos disparos terá sido o marido da arguida mais velha, que conseguiu fugir do país, logo após o crime, usando um cartão de cidadão e um passaporte obtidos com uma identidade de terceira pessoa.

A arguida mais nova tinha sido condenada pelo Tribunal de Albergaria-a-Velha a uma pena única de 13 anos e meio de prisão, em cúmulo jurídico, por um crime de homicídio agravado, em coautoria, e outro de detenção de arma proibida.

No entanto, a defesa da arguida recorreu para o Tribunal da Relação do Porto, que manteve a pena, o que motivou a apresentação de novo recurso, desta vez ao Supremo Tribunal de Justiça, que fixou uma pena única de 12 anos de prisão.

A segunda mulher detida é a sogra desta arguida, que foi condenada no mesmo processo a seis anos de prisão por um crime de homicídio por cumplicidade.

As duas mulheres foram conduzidas ao estabelecimento prisional especial de Santa Cruz do Bispo para cumprimento das respetivas penas de prisão.

No mesmo local, a GNR deteve um homem para cumprimento de uma pena de cinco anos e meio de prisão, por crimes de ofensa à integridade física grave e burla qualificada.

O detido foi conduzido ao Estabelecimento prisional de Aveiro.

A operação realizada por militares da Secção de Informações e Investigação Criminal de Aveiro, contou com o apoio dos militares do Destacamento Territorial de Águeda, Destacamento de Intervenção de Aveiro, Grupo de Intervenção de Ordem Pública e Grupo de Intervenção de Operações Especiais da Unidade de Intervenção.