O coletivo de juízes da 7.ª Vara Criminal de Lisboa marcou para dia 28 de novembro a leitura do acórdão do processo Homeland, cujo principal arguido é Duarte Lima.

O processo, relacionado com crédito obtido no BPN para aquisição de terrenos em Oeiras, conta também como arguidos o filho do ex-deputado do PSD, Pedro Lima, e o sócio do ex-deputado, Vítor Raposo, além de Francisco Canas e os advogados João de Almeida Paiva e Pedro de Almeida Paiva.

Duarte Lima, Pedro Lima e Vítor Raposo constituíram o fundo Homeland para a aquisição dos terrenos em Oeiras, em 2007, nas imediações do local onde esteve prevista a sede do Instituto Português de Oncologia (IPO), projeto que foi abandonado mais tarde.

Nacionalizado em novembro de 2008, o BPN, que também tinha participação na Homeland, emprestou à sociedade um total de 42.995.000 euros.