deu como provado que o ex-líder parlamentar do PSD enganou o BPN«é brutal e imerecida» e que contém «erros profundos e clamorosos». Avisou que vai recorrer

«Valeu-se da influência para enganar o BPN», «serviu-se do filho para viabilizar o negócio», «não reparou o dano para ao BPN»









Todos os advogados dos condenados apresentarão recurso