A PJ anunciou hoje a detenção de um homem a quem apreendeu mais de 10 quilogramas de heroína, cujo valor pode atingir um milhão de euros, e que era um dos principais fornecedores de droga aos vendedores/consumidores de Lisboa.

Em comunicado, a Polícia Judiciária acrescenta tratar-se de um homem de 40 anos a quem, na sequência de buscas domiciliárias, foram apreendidos mais de de 10 quilogramas de heroína.

Além das 10.574,49 gramas de heroína, a PJ apreendeu ainda vários telemóveis e 11.250 euros, assim como artigos ligados ao tráfico de estupefacientes, entre os quais balanças digitais e moinhos, refere a nota.

Cerca de 60 a 70% da heroína apreendida ainda se encontrava em estado de “elevada pureza”, pelo que poderia “vir a multiplicar-se por três ou quatro vezes”, acrescenta a nota.

Em declarações à Lusa, um inspetor-chefe da PJ precisou que a detenção ocorreu na quarta-feira, em Lisboa, e foi realizada por elementos da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes.

Foi uma operação que visou "várias residências" e que surgiu na sequência de uma investigação iniciada há "cinco seis meses com base em informações de consumidores", indicou.

A mesma fonte acrescentou que de acordo com estimativas da PJ, no mercado final a quantidade de droga apreendida "podia atingir um valor entre os 750 mil e um milhão de euros", já que o grau de pureza da droga poderia permitir que os 10 quilogramas resultassem em "mais de 30 quilogramas no mercado final".

Atendendo a valores de um relatório do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) referentes a 2013 para o preço da grama de heroína (25,64 euros) e aos preços a que custa atualmente no mercado (35 a 40 euros por grama), estimamos que o produto no mercado valesse aquela quantia, disse.

O detido está no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, para ser presente a primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.