O prémio de Melhor Vinho do Ano 2015 foi atribuído ao Herdade do Esporão Verdelho, Denominação de Origem Protegida (DOP) Alentejo, que arrecadou também o galardão de Melhor Varietal, anunciou esta sexta-feira o presidente da ViniPortugal, Jorge Monteiro.

O Bacalhôa Moscatel Roxo Superior (DOP Licoroso Setúbal) e o Ataíde Semedo Millésime Bruto (DOP Bairrada) conquistaram os prémios de Melhor Licoroso e de Melhor Espumante 2015, respetivamente, acrescentou.

Os prémios do Concurso Vinhos de Portugal 2015 foram entregues esta sexta-feira à noite, no Solar do Vinho do Dão, em Viseu.

No que respeita às medalhas Grande Ouro Vinhos, além do Herdade do Esporão Verdelho, foram atribuídas aos vinhos Indicação Geográfica Protegida (IGP) Alentejano Monte da Ravasqueira Syrah Viogner e Herdade Grande Reserva e aos DOP Alentejo Private Selection e Herdade da Farizoa Grande Reserva.

Os vinhos Quinta Seara D’Ordens Talentvs, Altano Quinta do Ataide Reserva, Kopke Vinhas Velhas e Cottas Reserva Tinto, todos DOP Douro, e o IGP Duriense Maçanita estão também entre os medalhados nesta categoria.

A lista de medalhados com Grande Ouro Vinhos inclui ainda os DOP Dão Paço dos Cunhas de Santar Vinha do Contador, Cav e Pedra Cancela Reserva, os DOP Bairrada Grande Follies Tinto e Marquês de Marialva – Arinto Grande Reserva, o DOP Beira Interior Colheita do Sócio, o DOP Trás-os-Montes Casal Faria Grande Reserva, o DOP Tejo Bridão Colheita Tardia e o IGP Tejo Casal da Coelheira Reserva BR14.

Na categoria de Grande Ouro Licorosos, além do Bacalhôa Moscatel Roxo Superior, foram medalhados o Casa Santa Eufêmia Tawny 40 anos e o Graham’s Quinta dos Malvedos V, ambos DOP Licoroso Porto.

Jorge Monteiro disse à agência Lusa que estavam 1.156 vinhos inscritos no concurso, tendo sido notada “uma melhoria qualitativa geral”.

“Destes 1.156 vinhos, quase 70% eram vinhos que atingiram uma nota para ter medalha. Mas entendemos que temos de ser bastante rigorosos e, apesar disso, apenas 25%, nos termos do regulamento, é que a receberam”, explicou.

Segundo Jorge Monteiro, o Grande Júri de hoje foi constituído por três estrangeiros e dois portugueses, “mas nos três dias da primeira fase do concurso participaram 21 estrangeiros e 81 portugueses, na sua esmagadora maioria enólogos das casas produtoras”.

Os vinhos medalhados serão os preferidos nas ações de educação, seminários e em provas promovidas pela ViniPortugal nos mercados onde trabalha e também nas suas salas de prova de Lisboa e do Porto.