uma audição que decorre, esta quarta-feira, na Comissão Parlamentar da Saúde

uma das quais falecida recentemente

«Senhor ministro, tenho a dizer que a mãe do David morreu. Não me deixe morrer. Eu quero viver. Eu ofereci-lhe metade do dinheiro para o senhor me dar o tratamento, escrevi-lhe uma carta e o senhor não respondeu. Não há direito. Acabem com isto, por favor, de uma vez por todas», afirmou o doente dentro da sala.




«Peço imensa desculpa, por respeito à bancada, a todos os senhores, mas a si, eu vou encontrá-lo! Desculpem-me. Perdão, perdão», avisou.


Em declarações aos jornalistas, já fora da sala, José Carlos Saldanha afirmou que «só neste país é que se vê esta pouca vergonha» e que o ministro é um «assassino».



no Jornal das 8, da TVI

«Não sou um doente imaginário, sou real. A guerra tem sido grande e o meu tempo de antena é muito curto. [...] Existe uma cura e eu não percebo do que estão à espera.»