Portugal tem atualmente 26,6% da população com mais de 65 anos, mas até 2050 esse valor deverá ultrapassar os 40%, razão pela qual aparece em 34.ª posição no «Índice Global de Envelhecimento 2013», divulgado hoje.

O relatório «Índice Global de Envelhecimento 2013» elaborado pela organização HelpAge International com o financiamento do Fundo Mundial de População das Nações Unidas (UNFPA, sigla em inglês) é o primeiro índice que mede a qualidade de vida e de bem-estar das pessoas idosas em todo o mundo.

Nos dados específicos sobre Portugal, o relatório aponta que o país tem já uma elevada percentagem (26,6%) de pessoas idosas, sendo expectável que esse valor aumente para 40,4% até 2050 e fazendo com que Portugal passe de oitavo para segundo lugar relativamente à população idosa, entre 195 países.

No que diz respeito à segurança dos rendimentos, o relatório revela que Portugal fica classificado em 17.º lugar porque a pobreza entre a população idosa atinge 16,6%, estando aqui incluídas as pessoas com 60 ou mais anos com um rendimento que seja menos de metade do salário médio nacional.

Na área da saúde, em que Portugal é colocado na 29.ª posição, a HelpAge International justifica esta posição com o facto das pessoas com 60 anos terem uma esperança média de vida de 23 anos e esperarem viver mais 17,6 anos de forma saudável.

Por outro lado, a organização aponta que há 90,5% de pessoas com mais de 50 anos que sentem que a sua vida tem significado, em comparação com pessoas com idades entre os 35 e os 49 anos que sentem o mesmo.

Em matéria de emprego e educação, Portugal cai para a 76.ª posição com base no facto de apenas 49,2% das pessoas com idade entre os 55 e os 64 anos estarem empregadas. A organização explica que este indicador mede o acesso das pessoas com mais idade ao mercado de trabalho e a sua capacidade para complementar as pensões que recebem com outras formas de rendimento.

De acordo com a HelpAge International, apenas 16,5% da população com mais de 60 anos completou o secundário ou o ensino superior.

Por último, em relação ao critério de adaptação do meio ambiente, Portugal aparece na 37.ª posição, havendo 79% de pessoas com mais de 50 anos que têm amigos ou familiares com quem podem contar em caso de necessidade. 51% que se sentem em segurança ao caminhar sozinhos na rua à noite na cidade ou na zona de residência e 70% das pessoas com mais de 50 anos estão satisfeitas com o sistema de transportes locais.

Segundo o estudo, que abrange 89% dos idosos originários de 91 países, o número de pessoas com mais de 60 anos (mais de 800 milhões de pessoas em 2012) supera atualmente as crianças com menos de cinco anos a nível mundial, prevendo-se que em 2050 ultrapasse os menores de 15 anos.

A apresentação do estudo coincide com o Dia Internacional das Pessoas Idosas, que se assinala hoje.