A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) apresentou queixa à Procuradoria-Geral da República pelo facto de a GNR questionar os guardas florestais sobre se vão fazer greve a 08 de setembro.

Em comunicado hoje divulgado, a FNSTFPS adianta que também apresentou queixa contra este comportamento da GNR, que "viola a lei da greve", à ministra da Administração Interna, à Inspecção-Geral da Administração Interna e à Inspecção-Geral de Finanças.

Segundo a estrutura sindical, a GNR deu instruções aos Comandos Territoriais para que até hoje fossem feitas chegar informações, àquele comando, sobre o número de guardas-florestais que irão aderir à greve nacional, convocada pela FNSTFPS para 08 de setembro próximo.

O FNSTFPS alerta que, numa "clara violação" das normas do Código do Trabalho, relativas à greve, os guardas florestais de diversas unidades já foram questionados sobre a sua intenção de aderir à luta, o que configura "uma forma de coacção" sobre os trabalhadores.

Em causa está a participação dos guardas florestais na greve e na manifestação nacional, a realizar dia 08, com desfile entre o Largo do Carmo, onde se situa o Comando-Geral da GNR, e o Terreiro do Paço, junto ao Ministério da Administração Interna, para exigirem a revogação da legislação que extingue a carreira, a atribuição de suplementos remuneratórios e o pagamento dos retroactivos relativos à aplicação do novo Estatuto, em vigor desde 01 de Novembro.