A atividade gripal manteve-se baixa, com tendência estável, pela segunda semana consecutiva, revela o boletim semanal de vigilância epidemiológica da gripe, divulgado esta quinta-feira pelo Instituto Nacional Ricardo Jorge.

De acordo com o relatório, referente à semana de 15 a 21 de fevereiro, a taxa de incidência da síndrome gripal foi de 40,1 casos por cem mil habitantes.

Na semana anterior, de 08 a 14 de fevereiro, a atividade gripal registada foi igualmente baixa, com tendência estável, com 54,3 casos por cem mil habitantes.

Na semana passada, foram admitidos oito novos casos de gripe nas unidades de cuidados intensivos hospitalares que reportaram informação.

A taxa de admissão por gripe nas unidades de cuidados intensivos ronda os 3,4 por cento, abaixo da estimada na semana de 08 a 14 de fevereiro, sendo que em todos os doentes foi identificado o vírus da gripe A.

Seis dos pacientes tinham doença crónica "considerada de risco para a evolução do quadro de gripe".

A mortalidade "por todas as causas" apresentou, na semana passada, "valores de acordo com o esperado".

O boletim adianta que "os vírus da gripe circulantes são, na sua maioria, semelhantes aos vírus contemplados na vacina antigripal da época 2015/2016".

A época gripal começou em outubro e termina em maio.