Na semana entre 11 e 17 de janeiro a taxa de incidência gripal foi de 39,8 por cada 100 mil habitantes, indicando atividade epidémica gripal de baixa intensidade, refere esta quinta-feira o Instituto Ricardo Jorge no boletim de vigilância gripal.

O Instituto Ricardo Jorge refere no boletim que o “vírus da gripe foi detetado em 58% dos casos analisados, o que revela uma tendência crescente na deteção de casos de gripe relativamente à semana passada”.

“O vírus da gripe A(H1)pdm09 foi o predominantemente detetado”, refere o boletim, salientando que os vírus da gripe em circulação estão contemplados na vacina antigripal.

Durante aquele período, foram internadas seis pessoas com casos de gripe.

“Este valor é igual ao estimado na semana anterior. Em todos os doentes foi identificado o vírus influenza A(H1N1)pdm09”, segundo o boletim.

De acordo o Instituto Ricardo Jorge, a mortalidade observada por “todas as causas” apresenta “valores de acordo com o esperado”.

A época gripal 2015-2016 começou em outubro e termina em maio.

A estirpe do vírus da gripe A-H1N1 surgiu em 2009, numa combinação de vírus que não tinha sido observada antes, tendo-se tornado sazonal, em circulação com outros vírus ‘Influenza’, e tratada com uma nova classe de antivirais.