Um dos feridos graves pela explosão de uma granada no campo militar de Santa Margarida, na quinta-feira, foi já submetido a duas intervenções cirúrgicas de urgência e vai ser transferido hoje para um hospital de Lisboa.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz do Exército disse que o militar, de 21 anos, está «clinicamente estável e em condições de ser transferido» para o hospital de São José, em Lisboa, depois de duas intervenções cirúrgicas realizadas no hospital de Abrantes à zona abdominal, «ao nível dos rins e da bacia».

A transferência do militar visa a «prossecução do acompanhamento e tratamento médico» na unidade hospitalar de Lisboa, acrescentou o tenente-coronel Jorge Pedro.

A mesma fonte adiantou que os outros quatro militares feridos no rebentamento da granada no decorrer de um exercício de fogo real de artilharia já tiveram alta hospitalar.

«Os dois feridos ligeiros tiveram alta ainda durante o dia de quinta-feira e dois dos feridos transportados para o hospital de Abrantes já regressaram à base», disse aquele responsável.

«Um deles está em convalescença no campo militar, no Centro de Saúde Santa Margarida - Tancos, e o outro foi para o seu domicílio», precisou o oficial.

O porta-voz do Exército disse à agência Lusa que foi aberto um inquérito para apurar as causas do acidente e apurar os seus resultados «no mais breve espaço de tempo possível».

O acidente teve origem num «tiro de morteiro que terá feito cair a granada fora do local previsto», segundo a fonte do Exército, tendo o mesmo resultado em ferimentos em cinco militares, um deles em estado considerado muito grave, dois em estado grave e dois com ferimentos ligeiros.

O rebentamento da granada ocorreu na manhã de quinta-feira, numa sessão de instrução com fogos reais de artilharia integrada no exercício «Eficácia 14», que decorria em área de mato, no perímetro do campo militar.