O secretário de Estado da Saúde considerou, esta quinta-feira, um exemplo a seguir o projeto de eficiência energética do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), que vai permitir uma poupança de 700 mil euros por ano.

"Este é um projeto que, na nossa perspetiva, deve ser objeto de elogio pela perseverança e capacidade de planeamento e até de risco que esta unidade hospitalar conseguiu fazer", salientou esta quinta-feira à agência Lusa Manuel Delgado, em Coimbra, à margem de uma reunião com o presidente do conselho de administração do CHUC, Martins Nunes.

A implementação de medidas de eficiência energética no CHUC, processo que ficou concluído no final de 2015, vai permitir uma poupança de 700 mil euros por ano, de acordo com uma auditoria energética realizada por uma entidade externa e cujo relatório a agência Lusa teve acesso.

O projeto "Hospital Amigo do Ambiente", iniciado em 2009, abrangeu o polo do Hospital da Universidade de Coimbra (blocos central e de Celas), implicando um investimento de 5,5 milhões de euros, cofinanciado a 85% por fundos comunitários.

"O investimento realizado assume características virtuosas ambientais e económico-financeiras, com uma poupança gerada de cerca de 700 mil euros por ano, assegurando a recuperação de todo o investimento até ao final de 2018", salientou o presidente do conselho de administração do CHUC, Martins Nunes.

Contabilizando as poupanças efetuadas desde 2009, o administrador hospitalar sublinha que, no final deste ano, "estarão já recuperados em poupanças cerca de 3,8 milhões de euros do investimento total de 5,5 milhões de euros".

Os investimentos mais vultuosos foram realizados em 2015 com a remodelação e otimização das unidades de tratamento de ar e instalação de sistema solar fotovoltaico para produção de energia elétrica, que somaram mais de 2,5 milhões de euros.

Além destes investimentos, o CHUC procedeu ainda, nos últimos anos, à gestão centralizada dos consumos energéticos, instalação de vidraria com caixilharia dupla, sistema de painéis solares para aquecimento de água, de ‘chillers’, modernização dos ascensores, conversão das caldeiras para gás natural e implementação de lâmpadas led.

"Temos de aproveitar tudo quanto são fundos comunitários e nesse sentido temos alguns projetos, não só na área do ambiente, mas também noutras áreas, como a Urgência e áreas de inovação, que são um conjunto de projetos próprios de um hospital que quer ser líder, estar sempre à frente para tratar os doentes o melhor possível", sublinhou Martins Nunes.

O secretário de Estado Manuel Delgado, que visitou os maiores investimentos realizados pelos CHUC, considerou que o projeto daquela unidade é um "exemplo que pode, noutras circunstâncias, ser seguido por outros conselhos de administração”

“E, nós, enquanto Ministério da Saúde, estamos aqui para apoiar e elogiar este tipo de projetos".