O atual grão-mestre do Grande Oriente Lusitano (GOL), Fernando Lima, liderava ao final da tarde de domingo a segunda volta das eleições nesta obediência maçónica, recolhendo 55% dos votos, enquanto o seu opositor, José Adelino Maltez, se ficava pelos 45%.

Segundo fonte do GOL ouvida pela agência Lusa, estes valores eram conhecidos quando já estavam contados 1.200 votos e faltavam apurar os resultados em 16 lojas do GOL. Os resultados definitivos apenas serão conhecidos em 4 de julho, depois de confirmados pelo Tribunal Maçónico.

A mesma fonte admitiu que se registam nesta segunda volta das eleições menos votantesm entre duas a três centenas, do que no primeiro sufrágio, realizado a 3 e 4 de junho. Então, José Adelino Maltez obteve 445 votos, Fernando Lima 414 e Daniel Madeira de Castro 374, tendo os dois primeiros passado à segunda volta.

Fonte da candidatura de José Adelino Maltês disse à agência Lusa que a confirmar-se no final da contagem a vantagem de Fernando Lima “não será superior a 90 votos”, enquanto fonte ligada à candidatura do atual grão-mestre apontava para uma vantagem “superior a 100 votos”.

O politólogo José Adelino Maltez e o jurista Fernando Lima fazem parte do quadro de mestres maçons da Loja Universalis, em Lisboa.

Lima apresentou-se a sufrágio com o historiador António Ventura e Carlos Vasconcelos, atual presidente do Grande Tribunal Maçónico, candidatos ao cargo de grão-mestre adjunto.

Maltez é coadjuvado na lista por Luís Gonçalves Vaz, historiador, e Manuel Bastos Matos, advogado e antigo militar de Abril, que integrou a Comissão de Extinção da PIDE-DGS, criada na sequência do derrube do fascismo, no 25 de Abril de 1974.

Fernando Lima, atual Grão-Mestre, candidata-se a um terceiro mandato, exercendo estas funções há seis anos.

Na corrida a este ato eleitoral, Fernando Lima contava com apoios dos antigos grão-mestres António Reis e António Arnaut, enquanto José Adelino Maltez tinha a seu lado João Soares ou Francisco Moita Flores, entre outros.