A GNR anunciou esta quinta-feira a detenção, em Monção, de dois cidadãos estrangeiros por estarem ilegais no país, um dos quais uma mulher vítima de violência doméstica e tortura por parte do companheiro, que está em fuga.

De acordo com a fonte do Comando Territorial da GNR de Viana do Castelo, a detenção foi concretizada na noite de quarta-feira, com os militares do posto de Monção a confirmarem a permanência ilegal dos dois elementos, de um país da Europa de leste.

A detenção, disse a mesma fonte, ocorreu na sequência de uma denúncia de violência doméstica, efetuada pelo primo da vítima, após o marido desta, da mesma nacionalidade e com um mandado de captura internacional pendente, a «ter agredido e torturado», sendo esta mulher um dos dois detidos.

Após as agressões, a mulher refugiou-se numa localidade espanhola, na companhia de sete filhos menores, com idades entre os dois e os 15 anos, tendo procurado ajuda junto da Guardia Civil de Espanha.

A GNR diz ter sido contactada pelas autoridades espanholas que tinham «estabelecido contacto com a vítima» e posteriormente «marcado encontro na sua residência».

«Foi então apurado que o agressor se tinha posto em fuga para Espanha e que estaria armado, sendo a vítima e os menores acolhidos no posto da GNR de Monção», explica a Guarda.

Diligências posteriores viriam a confirmar que os dois adultos - a vítima de violência doméstica e o primo - «estavam ilegalmente em território nacional», pelo que foram detidos.

Os menores foram entregues ao cuidado da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Monção. Os dois detidos foram hoje presentes no Tribunal de Monção, para primeiro interrogatório judicial, desconhecendo-se qualquer decisão sobre o destino de ambos.