Dois homens, proprietários de uma sucateira na área do Destacamento de Torres Vedras da GNR, foram constituídos arguidos num processo de furtos qualificados, disse hoje fonte da GNR.

Fonte da GNR explicou à agência Lusa que a sucateira recebia um "elevado número de artigos furtados" e os seus proprietários “são suspeitos de estarem ligados a uma associação criminosa suspeita da prática de furtos qualificados praticados em diversas zonas do país”.

Na sequência de um mandado judicial, no âmbito de um processo de furtos qualificados, que se encontra em fase de inquérito na Comarca de Lisboa Norte, a GNR efetuou buscas numa sucateira localizada na área do Destacamento de Torres Vedras e a existência de artigos relacionados com esse processo levou a que dois dos responsáveis fossem constituídos arguidos, informou a guarda.

Das três buscas efetuadas na sucateira e na casa dos agora arguidos, foram encontradas e apreendidas três viaturas com matrículas falsas, que as autoridades suspeitam tenham sido usadas no transporte de artigos furtados, acrescentou a fonte da GNR.

Após as buscas, ficaram identificados quatro homens, entre os 28 e os 43 anos, com ligações familiares entre si, e a exploração foi selada para pôr fim à atividade ilícita.

Em causa estão também diversas infrações ambientais por falta de licenciamento para desmantelamento e depósito de veículos e por poluição do solo devido à descarga ilegal de óleos.