A GNR de Santo Tirso iniciou na segunda-feira uma operação de combate a uma rede de burlas às seguradoras com carros de luxo, que deverá terminar no final da semana, informou à Lusa fonte policial.

De acordo com o comandante da GNR de Santo Tirso, Flávio Sá, a operação, que envolve buscas a oficinas, armazéns e sucatas, já resultou na apreensão de 20 viaturas de gama alta, várias peças de carros, alegadamente furtadas, uma arma de fogo e munições.

Foram ainda constituídas arguidas seis pessoas, entre os 20 e 45 anos, residentes no Porto e Aveiro.

A GNR estima que o número de detidos e viaturas apreendidas aumente até ao final da operação que decorre em Santo Tirso, Paços de Ferreira, Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis.

Além do crime de burlas às companhias de seguros, esta força policial investiga os crimes de recetação e furto de peças de viaturas roubadas.

A investigação, com mais de 100 militares, começou depois de a GNR ter identificado uma viatura envolvida em «vários» acidentes, na região do Porto, num curto período de tempo.

O esquema de atuação, explicou o capitão, era «sempre» o mesmo: os suspeitos faziam seguro contra todos os riscos, simulavam acidentes de viação entre carros de gama alta e, depois, pediam «elevadas» indeminizações às companhias de seguro.

E, acrescentou, «a reparação dos carros era feita em oficinas combinadas entre os suspeitos com peças de viaturas furtadas».