A terceira fase da operação “Hermes - Viajar em Segurança" da GNR, que terminou no domingo, registou um total de quatro mortos, o mesmo número do que no mesmo período do ano passado.

A GNR registou, entre sexta-feira e domingo, 631 acidentes, menos 60 do que no ano passado, adiantou à agência Lusa fonte da GNR.

Destes acidentes resultaram 13 feridos graves, menos seis do que no mesmo período de 2015, e 251 feridos ligeiros, mais três do que no ano passado.

A terceira fase da operação teve início na sexta-feira nas principais vias de ligação a locais de férias, com a intensificação das ações de patrulhamento. 

As fronteiras terrestres, de entrada de emigrantes em território nacional, foram igualmente alvo de "atenção especial" pela parte da GNR, que, na sexta-feira, realizou "uma ação de divulgação de conselhos de segurança, sobretudo rodoviária", em Vilar Formoso, com a participação de elementos da Guardia Civil de Espanha.

O balanço da primeira fase da operação Hermes, que decorreu no primeiro fim de semana de julho, elevou-se a sete mortos, mais quatro do que no mesmo período, em 2015, e 530 acidentes, menos 21 do que no ano passado, na mesma fase da operação, segundo os números então divulgados pela GNR.

Vinte e cinco feridos em estado grave (menos um do que em 2015) e 170 pessoas com ferimentos ligeiros (menos 51) foram também contabilizados durante os três primeiros dias da operação, este ano, em comparação com período homólogo, em 2015.

Na segunda fase da operação Hermes, entre 15 e 17 de julho, a GNR registou 620 acidentes, dois mortos e 18 feridos graves. Em relação à mesma fase da operação de 2015, a Guarda registou mais 30 acidentes, menos seis mortos e o mesmo número de feridos.

As próximas fases da operação “Hermes” realizam-se nos fins de semana de 12 a 15 e de 26 a 28 de agosto, informa a Lusa.

Excesso de velocidade no topo das infrações

A Guarda Nacional Republicana detetou, no fim de semana, 820 condutores em excesso de velocidade e mais de duzentos a conduzir com excesso de álcool no sangue. 

Entre os dias 30 e 31 de julho, a GNR detetou 2.359 infrações de trânsito, das quais se destacaram 820 casos de excesso de velocidade num fim-de-semana em que se registou um aumento de tráfego nas estradas devido à mudança de mês mas também ao regresso de imigrantes a Portugal.

Segundo o comunicado do gabinete de imprensa da GNR, foram ainda identificadas 283 pessoas a conduzir com uma taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, o que levou à detenção de 105 condutores.

No total, a GNR deteve no fim-de-semana 169 pessoas em flagrante delito: 105 por condução sob o efeito do álcool; 29 por condução sem habilitação legal; 11 por tráfico de estupefacientes; cinco por posse ilegal de arma e dois por furto.

Ainda nas estradas, a GNR apanhou 104 pessoas a usar de forma incorreta ou mesmo sem cintos de segurança ou sistemas de retenção para crianças.

A Guarda Nacional Republicana detetou ainda 65 condutores ao telemóvel, 92 veículos sem inspeção periódica obrigatória e 40 sem seguro.