A GNR deteve quatro pessoas e identificou 99 suspeitos da prática do crime de incêndio florestal no último mês e meio, no âmbito da «Operação Floresta Protegida», informou esta quinta-feira a corporação.

Num balanço da primeira fase da Operação Floresta Protegida, que decorreu de 31 de março até à última quarta-feira, diz o Comando Geral da GNR que ainda foram contabilizadas 103 contraordenações e 140 crimes de incêndio florestal.

A Operação consistiu também, esclarece o comunicado, em ações de sensibilização, especialmente junto das escolas, sobre os procedimentos preventivos a adotar sobre o uso de fogo, limpeza e remoção de matos, sempre com o objetivo de reduzir riscos de incêndios.

«Militares do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente, do Grupo de Intervenção Proteção e Socorro e dos comandos territoriais realizaram 504 ações de sensibilização, tendo abrangido cerca de 10.800 pessoas», acrescenta o comunicado da GNR.