A Unidade de Ação Fiscal (UAF) da GNR anunciou a detenção, em Valongo, de um homem de 62 anos e apreendeu-lhe quase milhão e meio de cigarros introduzidos ilegalmente no mercado português, no valor de 300.857 euros.

A detenção do sexagenário - pelo crime aduaneiro de introdução fraudulenta no consumo - e apreensão do tabaco (1.465.700 cigarros) decorreram na segunda-feira durante uma ação de fiscalização a um automóvel ligeiro.

Na sequência das diligências, os militares da GNR descobriram que o suspeito tinha duas garagens arrendadas onde armazenava o tabaco e um segundo veículo, frisou.

O detido, já com antecedentes criminais pela prática dos mesmos crimes, é comerciante, mas usa esta “atividade paralela e ilegal” para obter rendimentos extra, disse hoje à Lusa fonte da UAF.

Dado ser comerciante tem vários contactos e, assim, aproveita para lhes vender o tabaco sem pagar impostos”, adiantou.

A fonte realçou ainda que o tabaco seria para distribuir no Norte do país, região onde o homem reside e trabalha.

O suspeito vai ser ainda presente ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Valongo para conhecer as medidas de coação.

No circuitos comerciais legais, os impostos representam parte substancial do custo de um maço de cigarros.