A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve 199 pessoas em flagrante delito durante o fim de semana e apreendeu 2.640 doses de heroína e 2.027 doses de haxixe, informou esta segunda-feira a GNR.

Em comunicado, a GNR refere que apreendeu também 60 doses de cocaína, 12,22 gramas de liamba, 97,392 gramas de resina de canabis, 0,42 gramas de ecstasy, quatro armas de fogo, duas armas brancas, duas munições de diversos calibres, quatro veículos ligeiros, 4.850 euros em numerário e 119,5 quilogramas de pescado diverso.

Das 199 detenções em flagrante delito, 34 deveram-se a condução sem habilitação legal, 19 a tráfico de estupefacientes, sete a furto, duas a posse ilegal de armas, uma a posse de arma proibida, uma a violência doméstica, uma a ofensas à integridade física e 15 a outros crimes.

As operações da GNR visaram combater e prevenir a criminalidade violenta e a fiscalização rodoviária e decorreram nos distritos/comandos territoriais de Aveiro, Beja, Braga, Bragança, Évora, Faro, Lisboa, Porto, Santarém, Setúbal e Vila Real.

Durante o fim de semana a GNR fiscalizou 6.836 condutores e detetou 2.384 infrações, das quais 319 por condução com taxa de alcoolemia superior ao permitido por lei, 1.202 excessos de velocidade (em 49.604 controlos), 15 relativas a excesso ou deficiente acondicionamento de carga e 42 relacionadas com tacógrafos.

Operação «metais não preciosos» apreende duas viaturas

A GNR apreendeu duas viaturas e 1.600 quilogramas de cobre durante uma operação de fiscalização intensiva ao transporte de metais não preciosos e às sucateiras.

Durante a operação «metais não preciosos», que se realizou na sexta-feira e no sábado, a Guarda Nacional Republicana registou ainda três autos de notícia e 226 contraordenações, adianta a GNR em comunicado.

A operação de fiscalização intensiva ao transporte de metais não preciosos e aos operadores de gestão de resíduos envolveu 862 militares dos comandos territoriais, da Unidade Nacional de Trânsito e da Unidade de Ação Fiscal.

Os militares orientaram as ações de fiscalização para as vias potencialmente usadas para o escoamento dos materiais furtados e para os locais suspeitos de efetuarem a sua recetação, contribuindo para o esforço europeu no combate a este tipo de crime.