A Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR) considerou, este sábado, que a promoção de 1 210 elementos da GNR vai criar «problemas internos», tendo em conta que ficam de fora 305 militares que reúnem as mesmas condições.

«Ficam por promover 305 militares e nós não concordamos com isso, porque são promoções automáticas e a promover tinham que ser todos promovidos», disse à agência Lusa o presidente da APG/GNR, César Nogueira.