Três dos quatro suspeitos de tráfico de estupefacientes detidos na quarta-feira na Golegã vão ficar em prisão preventiva, ficando o outro proibido de contactar com dois dos arguidos e obrigado a apresentações semanais no posto policial da sua residência.

Em comunicado distribuído este sábado, a GNR afirma que as medidas de coação foram aplicadas na sexta-feira aos dois homens e duas mulheres com idades entre os 20 e os 30 anos residentes nos concelhos de Póvoa de Santa Iria, Golegã e Chamusca e que foram detidos na sequência de buscas domiciliárias realizadas a três residências no concelho da Golegã.

Nessa operação, o Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Torres Novas, que atuou em colaboração com o Núcleo de Apoio Operativo (NAO) e do Destacamento de Intervenção de Santarém da GNR e da PSP da Póvoa de Santa Iria, foram apreendidos produtos estupefacientes, armas de fogo e dinheiro proveniente de tráfico.

Segundo a GNR, foram apreendidos cerca de seis quilos de placas de haxixe, 13 plantas de cannabis, uma estufa para cultivo de plantas de cannabis, 213 gramas de liamba, diverso material de cultivo e moagem de cannabis, duas viaturas ligeiras utilizadas no tráfico de estupefaciente, uma moto 4, uma pistola de calibre 6,35 milímetros, uma espingarda e 2.485 euros em dinheiro.

A operação teve origem na área de residência de um dos detidos, na comarca de Vila Franca de Xira, tendo as diligências de inquérito e investigação permitido apurar que o suspeito com residência em Póvoa de Santa Iria tinha ligação aos outros três elementos residentes na zona da Golegã e que esta rede de tráfico atuava em toda a região ribatejana.