A última fase da Operação Hermes da GNR, que decorreu entre sexta-feira e domingo, envolvendo cerca de 3.000 militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos Comandos Territoriais, registou um total de 531 acidentes.

De acordo com dados provisórios disponibilizados na página da Internet da GNR, do total de acidentes nesta 4.ª fase há a registar um morto, 16 feridos graves e 189 ferido ligeiros.

Sexta-feira foi o dia em que se registaram mais acidentes, com 193 sinistros, dos quais resultaram um morto, em Aveiro, seis feridos graves e 84 ligeiros. Neste dia, Faro, Porto, Setúbal e Aveiro foram os distritos a registar maior sinistralidade.

No sábado ocorreram em todo o país 178 acidentes, com seis feridos graves e 57 ligeiros e no domingo o número de ocorrências foi de 160, com quatro feridos graves e 48 ligeiros.

Além da atuação preventiva e de apoio, os militares estiveram “particularmente atentos” aos comportamentos de risco dos condutores que pudessem colocar em causa a segurança rodoviária, nomeadamente a condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas, o excesso de velocidade, o uso indevido do telemóvel durante a condução, as manobras perigosas, a condução sem habilitação legal e incorreta ou a não utilização do cinto de segurança e/ou sistemas de retenção para crianças (SRC).

A Operação Hermes decorreu durante todo o período de veraneio, de 03 de julho a 30 de agosto. Durante esse período foram intensificadas em diversas fases as ações de patrulhamento e apoio aos utentes das vias rodoviárias.

Na primeira fase da operação a GNR registou três mortos em 515 acidentes e na 2.ª fase, que decorreu entre 17 e 19 de julho, registaram-se 544 acidentes, com 17 feridos graves e 156 ligeiros. Na terceira fase foram contabilizados quatro mortos, 18 feridos graves e 226 feridos ligeiros, num total de 656 acidentes.
 

Mais de 200 detidos no fim de semana


A GNR deteve neste fim de semana 201 pessoas e apreendeu quase mil doses de droga e dez armas, no âmbito de um conjunto de operações, em todo o país, que visaram a prevenção e combate à criminalidade violenta.

Em comunicado, a GNR dá conta de 201 detenções em flagrante delito, a maioria das quais por condução sob o efeito do álcool (120).

Foram ainda detidas 24 pessoas por conduzirem sem carta, 20 por tráfico de estupefacientes, três por posse de armas proibidas e cinco por furto.

Durante a operação, a GNR apreendeu ainda 853 doses de haxixe, 110 doses de heroína, cinco armas de fogo e cinco armas brancas.

No que respeita à fiscalização rodoviária, foram fiscalizados 11.582 condutores e detetadas 3.696 infrações, entre as quais se destacam 1.707 casos de excesso de velocidade (em 68.557 controlos realizados).

Foram ainda identificadas 322 condutores por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei e 178 pessoas que não utilizavam cinto de segurança ou sistema de retenção para crianças, assim como 102 casos de falta de inspeção periódica obrigatória.

As outras infrações detetadas consistiram em 128 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução, 55 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório e 53 relacionadas com tacógrafos.