A GNR multou 13.429 condutores por estarem a usar o telemóvel durante a condução durante o primeiro semestre do ano; menos 185 do que em igual período de 2012.

A Guarda Nacional Republicana registou também, nos primeiros seis meses do ano, 13.173 infrações por falta de uso de cinto de segurança (menos 759 do que no mesmo período de 2012) e 829 contraordenações por falta de sistema de retenção para crianças (mais 112 do que em 2012).

Os dados foram avançados pela GNR nesta no anúncio de mais uma operação de fiscalização rodoviária - denominada «Anjo da Guarda» -, destinada a controlar a utilização do telemóvel durante a condução, o uso dos cintos de segurança e dos sistemas de retenção para crianças.

A GNR, numa nota de imprensa divulgada nesta quarta-feira, adianta que vão estar envolvidos na operação, a decorrer na quinta-feira, 1.117 elementos dos comandos territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito.

Os militares da GNR vão realizar 493 ações de fiscalização em estradas nacionais, regionais e municipais, em estradas situadas no interior das localidades e em vias de acesso às praias e albufeiras, onde estas infrações são mais frequentes, refere também a nota.

A corporação sublinha que, «apesar do decréscimo dos números da sinistralidade rodoviária na área de responsabilidade da GNR, as estatísticas dos acidentes de viação ocorridos em Portugal continuam a ser preocupantes».

Nesse sentido, a GNR reforça a fiscalização ao uso de telemóvel e não utilização de sistemas de retenção e cintos de segurança, tendo em conta que são «comportamentos de risco que aumentam exponencialmente a probabilidade de acidente de viação», assim como agravam «as consequências desses mesmos acidentes».