O primeiro fim de semana de agosto foi "dramático" nas estradas portuguesas, afirmou, esta segunda-feira, o  capitão da GNR,  João Nunes de Figueiredo, à TVI.

Em apenas três dias, a GNR registou 656 acidentes dos quais resultaram quatro mortos e 18 feridos graves, sendo que comparativamente a operação homóloga de 2014 registaram-se mais 14 acidentes, mais quatro mortos e menos cinco feridos graves. Foram ainda registados 226 feridos leves, menos 84 que em 2014.

Segundo o capitão Figueiredo, os comportamentos de risco são a pista para o aumento de sinistros nas estradas portuguesas, uma vez que 199 condutores foram detidos, dos quais 140 apresentavam uma Taxa de Álcool no Sangue igual ou superior a 1,2 grama por litro.

"Quando em três dias temos 140 condutores acima de 1.20 em termos de taxa de alcoolémia, entre os quais resultam de mais de 397 excessos positivos - ou seja, acima de 0,50 - isto dá algumas pistas", afirma.


No total, a GNR registou 4.261 contraordenações. Destas, 1.563 deveram-se a excesso de velocidade, 397 a condução com uma taxa de alcoolemia superior ao permitido por lei e 223 à ausência e/ou incorreta utilização do cinto de segurança ou de sistema de retenção para crianças.

Das restantes contraordenações, 165 deveram-se a falta de inspeção periódica obrigatória de veículos, 168 a uso indevido de telemóvel durante a condução e 59 a falta de seguro de responsabilidade civil.

A Operação Hermes, que decorre de 03 de julho a 30 de agosto, destina-se a garantir deslocações em segurança aos cidadãos que viajam de e para locais de veraneio ou para eventos característicos desta altura do ano.