Os dois homens detidos na sexta-feira no Porto Alto, Santarém, ficaram em prisão preventiva, tendo as autoridades judiciárias optado, "para já", por os indiciar por crime de roubo, disse hoje à agência Lusa fonte da GNR.

Segundo a mesma fonte, a procuradora do inquérito optou por pedir a indiciação dos dois detidos por crime de roubo até que haja uma melhor definição da situação.

Paralelamente, tendo ambos antecedentes criminais, as autoridades pretendem esclarecer, em sede de inquérito, se respondem por outros crimes anteriormente praticados.

A troca de tiros aconteceu na sexta-feira, na sequência de uma perseguição iniciada pouco antes das 10:00 na ponte Vasco da Gama, na região de Lisboa, quando três homens que seguiam numa viatura desobedeceram a uma ordem de paragem.

A viatura acabou por se despistar no Porto Alto, no distrito de Santarém, e um dos homens saiu do carro empunhando uma arma e disparou em direção aos militares da GNR, ferindo um deles com três tiros (dois numa perna e um num braço).

Na resposta, o homem foi baleado, acabando por morrer no local. Os restantes dois foram detidos.

Segundo noticia hoje o Correio da Manhã, junto do corpo do fugitivo abatido foi encontrada uma arma de calibre de guerra, mais concretamente uma pistola HK P7 de 9 mm, que as autoridades suspeitam ter sido adquirida no mercado negro.