A GNR de Viana do Castelo anunciou, esta quinta-feira, a detenção de um homem de 50 anos, suspeito de 35 crimes de burla em todo o país através de um esquema que envolvia o arrendamento de habitações para férias.

Fonte daquela força policial explicou à Lusa que a detenção do homem foi concretizada pelas 20:30 de quarta-feira, na ponte da A28 em Leixões, Matosinhos, estando este indiciado da prática de crimes de furto, burla e falsificação de documento.

A investigação estava em curso em Viana do Castelo, região em que terá cometido nas últimas semanas pelo menos três crimes de burla.

Na altura da detenção, o homem foi apanhado a conduzir uma viatura furtada na região do Porto no mês de agosto e tinha na sua posse, igualmente, diversos objetos sobre os quais não conseguiu explicar a origem.

«Apurou-se posteriormente que haviam sido furtados, na tarde desse mesmo dia, de uma residência sita em Belinho, Esposende», explicou a GNR.

O individuo, segundo a investigação em curso, terá consumado 35 crimes de burla em concelhos como Montemor-o-Novo, Castelo Branco, Leiria, Pombal, Abrantes, Rio Maior, Santa Maria da Feira, Porto, Povoa do Varzim, Esposende, Viana do Castelo e Ponte de Lima.

Contudo, sublinha a GNR, outras localidades e crimes podem estar ainda por confirmar.

A estratégia, acrescenta aquela força policial, era sempre idêntica e passava pela consulta de um sítio da internet para efetuar o arrendamento de habitações para férias.

«Utilizando sempre uma história de cobertura bem delineada, fazia-se passar por mandatário de um famoso advogado de Lisboa, pagando o correspondente arrendamento, sempre com cheques furtados, e consumava, à posteriori, o furto do recheio das casas de férias arrendadas», explicou a fonte.

O material furtado era depois colocado à venda na feira da Vandoma, no Porto.

Além do veículo furtado, a GNR recuperou cheques das vítimas, televisores, eletrodomésticos, amplificadores e aparelhagens de som, computadores portáteis, bicicletas, faqueiros em prata, quadros e móveis, entre outros objetos.

O suspeito está detido pela GNR e só na sexta-feira, pelas 10:00, será presente a primeiro interrogatório judicial, para fixação de eventuais medidas de coação, indicou a mesma fonte.