A GNR da Guarda anunciou esta sexta-feira a apreensão de 3.922 maços de tabaco, com o valor de 16.100 euros, com estampilhas fiscais fora de prazo, que eram comercializados em máquinas de venda automática.

Fonte do Comando Territorial da GNR da Guarda disse à agência Lusa que o tabaco foi apreendido durante uma ação de fiscalização realizada a cerca de uma dezena de máquinas automáticas de venda de tabaco que se encontravam em cafés de localidades dos distritos da Guarda e de Castelo Branco.

Durante a ação, desenvolvida pela Equipa de Intervenção Fiscal da GNR da Guarda, foram apreendidos 3.922 maços de tabaco, de diversas marcas, que ostentavam "estampilhas fiscais fora de prazo, relativamente aos anos de 2009, 2010, 2011, 2012, 2013 e 2014", disse.

A fonte referiu que foram levantados "cinco autos de contra ordenação aduaneira" a um empresário do distrito de Castelo Branco, que opera no setor da distribuição de tabaco através de máquinas automáticas, e a quem pertenciam os equipamentos fiscalizados.

A GNR continua com a investigação, que foi iniciada pelo Núcleo de Investigação Criminal do Destacamento Territorial de Pinhel, no distrito da Guarda, para apurar as circunstâncias em que o tabaco, em situação ilegal, estava à venda.