A GNR anunciou, esta quinta-feira, a apreensão de uma "grande quantidade" de artefactos explosivos utilizados nas festas concelhias de Lousada e a identificação de dois homens e uma mulher.

Os três suspeitos, maiores de idade, estão indiciados, segundo a Guarda, pela prática criminal prevista no Regime Jurídico das Armas e Munições.

O rebentamento dos engenhos, assinalou a autoridade, provocou danos nas fachadas de edifícios do centro da vila, nomeadamente nas pinturas e nos vidros dos Paços do Concelho e do Palácio da Justiça, recentemente requalificado.

Em comunicado, revela-se que, ao longo do ano, "o Posto da GNR de Lousada efetuou várias diligências, com o intuito de se proceder à identificação e eventual detenção de indivíduos que têm por hábito ou tradição fazer a detonação de artefactos explosivos conhecidos por 'bichas de rabiar', nas artérias da vila".

Segundo a autoridade, a detonação "provoca invariavelmente danos nas fachadas".

A operação policial, com a consequente identificação dos suspeitos e apreensão do material explosivo, foi realizada no âmbito de uma investigação da Destacamento Territorial de Felgueiras, no decurso das festas realizadas de 24 a 28 de julho.

No comunicado, alerta-se também que a utilização daqueles engenhos explosivos, para além dos danos materiais, podem causar "lesões físicas graves aos cidadãos, quer aos que os detonam, quer aos que se juntam para assistirem ao lançamento desses artefactos".