A Madeira será beneficiada da medida introduzida pelo Infarmed e que irá permitir que os doentes diabéticos tipo I usufruam de uma comparticipação em 85% na aquisição dos novos aparelhos de monitorização dos níveis de glicose.

Vem abrir um novo campo de ação e uma melhoria na prestação de cuidados do dia-a-dia na região (…). Nós estávamos mesmo à espera que saísse a deliberação por parte do SNS para agora podermos implementar, também, [a comparticipação] na região a partir do próximo ano", declarou o secretário regional com a pasta da Saúde, Pedro Ramos.

O Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento, revelou ter concluído as negociações que se traduziram na comparticipação em 85% do dispositivo FreeStyle Libre, num acordo com a empresa farmacêutica Abbot que prevê o tratamento no primeiro ano de 15 mil pessoas com diabetes de tipo I, uma doença autoimune que implica injeções diárias de insulina.

A Autoridade Nacional do Medicamento anunciou ontem que "todas as crianças com mais de quatro anos serão beneficiadas com este dispositivo”.

Na região da Madeira, a diabetes tem uma taxa de mortalidade bruta padronizada superior à nacional, mas Pedro Ramos destaca que nos últimos dez anos tem revelado uma tendência decrescente.

"Diminuímos a mortalidade em cerca de 23,9%, segundo os dados da estatística do Instituto de Administração da Saúde da Região Autónoma da Madeira e isso significa que estamos, também, a fazer um trabalho no que diz respeito às doenças metabólicas que, como se sabe, é das principais causas de morte, juntamente com as doenças cardiovasculares, oncológicas e respiratórias”, afirmou.