O homem 62 anos, praticante de 'geocaching', que estava desaparecido na serra de Aire e Candeeiros desde sábado à tarde, foi encontrado esta segunda-feira sem vida.

O cadáver do homem de 62 anos foi encontrado "a cerca de 50 metros do próprio carro, num local de difíceis acessos e escondido pela vegetação”, disse à agência Lusa o comandante da GNR das Caldas da Rainha, Hugo Carneiro.

"Estava numa zona de muito difícil acesso, muito próximo da viatura onde o casal tinha iniciado esta sua atividade física. A identificação deste senhor viria a acontecer hoje, às 13:30. A localização foi feita através de um binómio cinotécnico de busca e salvamento do Grupo de Intervenção Cinotécnico da GNR. O local é de tão difícil acesso que foi apenas o cão que teve acesso a esse mesmo local. Neste momento estamos com uma operação no sentido de recuperar o corpo", revelou o capitão da GNR, Hugo Carneiro.


Esta segunda-feira, “as buscas foram retomadas pelas 08:00 com cerca de 30 operacionais, da GNR, bombeiros, Proteção Civil e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas”.

O praticante de “geocaching”, um jogo tipo 'caça ao tesouro' realizado ao ar livre em que se usa um sistema de navegação por satélite, GPS, para encontrar uma caixa, estava desaparecido desde as 15:00 de sábado nas serras de Aire e Candeeiros.

O alerta foi dado pela mulher do “geocacher” que estranhou a demora do marido ao deslocar-se para procurar um determinado ponto, numa mata junto ao itinerário complementar 2.