Cerca de 80 festivaleiros do Vodafone Paredes de Coura tiveram que ser assistidos nas urgências de Viana do Castelo e Monção/Lima por apresentarem “sintomas gastrointestinais”, disse à Lusa o diretor da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Franklim Ramos.

Deram entrada nos serviços de urgência médico-cirúrgica de Viana do Castelo e urgência básica de Monção/Lima 80 pessoas com sintomas gastrointestinais. Foram todos tratados e estão todos livres de perigo”.

“A ULSAM deu uma boa resposta a todos os casos que deram entrada nos serviços, tendo sido necessário em Ponte de Lima, hoje de manhã, reforçar a equipa de médicos”, acrescentou.

O mesmo responsável indicou que “está tudo a correr muito bem” e fez questão de voltar a garantir que as “as pessoas estão todas livres de perigo e a ser tratadas”.

A TVI24 falou com alguns campistas do festival. Uma das jovens, que esteve a soro no hospital, relatou que teve náuseas e, inicialmente, pensou que tivesse a ver com aquilo que comeu ou com a água que bebeu. Mas reparou que outras pessoas apresentavam outros sintomas e não tinham bebido água nem comido o mesmo.

A água do campismo chegou a ser cortada como medida de prevenção. O reabastecimento foi restabelecido pelas 18:00, segundo fonte da organização.

Organização desconhece causas

A organização do festival emitiu entretanto um comunicado dizendo desconhecer as causas que levaram aquelas dezenas de pessoas às urgências.

Até ao momento não foi possível estabelecer uma causa comum entre os casos, uma vez que não se verifica um padrão de idade, proveniência ou consumo de alimentos e bebidas, e os referidos sintomas são comuns a várias causas possíveis”

Garante, ainda, estar em contacto permanente “com as entidades responsáveis para garantir toda a assistência a quem dela necessite e apurar, se possível, a causa”.

Os serviços de saúde presentes no local “prestaram a assistência devida e encaminharam, como medida de precaução, um número de pessoas não confirmado para os serviços de saúde do distrito – dado que os de Paredes de Coura encerraram às 22:00 -, onde têm sido observadas, recebido tratamento e tido alta, estando a maioria a regressar ao festival”, esclarece ainda o mesmo comunicado da organização.

Veja também: Fomos ver o piteu do pessoal

Acompanhe o festival ao minuto