O advogado Miguel Galvão Teles morreu esta sexta-feira, aos 75 anos. Era sócio na Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, foi professor universitário, conselheiro de Estado e dirigente do Sporting.

O corpo do advogado e antigo presidente da mesa da assembleia-geral do Sporting Miguel Galvão Teles vai esta sexta-feira, às 18:30, para a Basílica da Estrela, Lisboa, onde, às 21:30, será celebrada uma missa de corpo presente, indica em comunicado o seu escritório.

Às 16:30 de sábado, haverá missa de corpo presente na Basílica da Estrela, de onde o funeral sai, às 17:30, para o Cemitério do Alto de S. João. 

Galvão Teles era advogado desde 1966. Miguel Galvão Teles era membro do Tribunal Permanente de Arbitragem, em Haia. Foi Docente na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, encarregado da regência de Direito Constitucional (até 1978) e membro do Conselho de Estado de 1982 a 1986, durante a Presidência de Ramalho Eanes.

No Sporting, presidiu à assembleia-geral entre 1995 e 2006, durante as lideranças de Pedro Santana Lopes, José Roquette, Dias da Cunha e Filipe Soares Franco.

O Sporting manifestou já «profundo pesar» de Galvão Teles. «É com profundo pesar que informamos que faleceu hoje, sexta-feira, o nosso associado Miguel Galvão Teles. Ex-dirigente do nosso clube, Miguel Galvão Teles foi presidente da Mesa da AG do Sporting Clube de Portugal, durante dez anos, sendo posteriormente membro do Conselho Leonino», lê-se no comunicado divulgado no sítio oficial dos leões, na Internet.

O Sporting anunciou também que o corpo de Miguel Galvão Teles vai estar, a partir das 18:30 de hoje, na Basílica da Estrela, em Lisboa, onde vai ser realizada a missa de corpo presente, no sábado, às 17:30, seguindo o cortejo fúnebre para o cemitério do Alto de São João.

Nascido no Porto, o advogado recebeu os Prémios Gulbenkian de Ciências Político-Económicas (1959) e de Ciências Histórico-Jurídicas (1961), tendo ainda sido galardoado com um prémio internacional de advocacia, o primeiro a ser atribuído a um português pela Chambers and Partners.

Cavaco lembra «jurista brilhante»

O Presidente da República lembrou o advogado Miguel Galvão Teles como um dos mais notáveis juristas da sua geração, sublinhando o seu contributo para a consolidação da democracia portuguesa.

«Jurista brilhante, dos mais notáveis da sua geração, sempre se destacou pelo seu profundo amor à liberdade e pela integridade do seu carácter», lê-se numa mensagem de condolências enviada pelo chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, à família do advogado, que morreu hoje aos 75 anos.

Na missiva, Cavaco Silva recorda a forma como Miguel Galvão Teles se distinguiu como jurisconsulto e advogado, «dando um contributo essencial para a consolidação da democracia portuguesa e, mais tarde, para a defesa da causa de Timor no plano internacional».

«À inteligência aliou uma afabilidade de trato que para sempre ficará inscrita na memória de todos quantos tiveram o privilégio de o conhecer», acrescenta ainda o Presidente da República.