Seis pessoas ficaram em prisão preventiva por suspeita de crimes de associação criminosa, de furto qualificado e de recetação, anunciou esta sexta-feira a Procuradoria da Comarca de Setúbal.

Segundo a procuradoria, tinham sido detidas sete pessoas, que foram presentes ao juiz no Tribunal de Setúbal.

Os indivíduos dedicavam-se ao furto de artigos em supermercados em várias zonas do país, enviando depois o dinheiro resultante da venda dos artigos para o país de onde são naturais", refere a Procuradoria da Comarca de Setúbal, em comunicado.

O documento acrescenta que as pessoas em causa desenvolveram a atividade entre fevereiro e março deste ano, estando já contabilizada a quantia de nove mil euros em artigos furtados.

Os artigos eram canalizados para mercados de rua em Lisboa. Os indivíduos foram detidos na sequência de buscas, tendo sido recuperados alguns dos artigos furtados", salienta.

Seis das sete pessoas ficaram sujeitas à medida de coação de prisão preventiva.

A investigação prossegue sob a direção do DIAP de Setúbal, estando a cargo do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Palmela.