Uma família foi trancada esta manhã, na sua própria casa, no Furadouro, Ovar, por assaltantes, confirmou à TVI o CDOS de Aveiro. Pouco depois do meio-dia, a PSP entrou na habitação e verificou que os assaltantes tinham isolado a família numa parte da casa e depois colocaram-se em fuga. 

«Sabemos que é uma vivenda e que as pessoas foram feitas reféns», começou por afirmar a fonte do CDOS.

Ao que a TVI apurou, a casa em questão é de comerciantes «conhecidos» no Furadouro, proprietários de uma peixaria. O assalto começou a meio da manhã, pelas 9:30, e os suspeitos não estariam à espera de que alguém estivesse em casa.

Dentro da habitação estavam três pessoas: um casal e uma empregada que foram trancados numa divisão. A falta de comunicação e os pedidos de socorro levaram a PSP a acreditar que em causa podia estar uma situação de sequestro em que a família tinha sido feita refém. 

Pouco depois das 12:00 e cerca de quarto horas após o alerta para o caso, a PSP entrou dentro da casa. As persianas da residência, que se encontravam fechadas, foram abertas e foi possível ver elementos da PSP no seu interior. As viaturas do INEM que se encontravam nas imediações começaram a retirar, sem sinalização de marcha.

Pouco depois, a PSP explicou que quando chegou ao local os assaltantes já não estavam dentro da casa. 

«As vítimas estavam retidas, fechadas num compartimento», declarou o oficial da PSP aos jornalistas. 


A PSP explicou que tentou contactar quer a família, quer os suspeitos, mas como não obteve resposta acabou por entrar dentro da casa. 

«Só conseguimos confirmar essa circunstância quando as vítimas saíram da residência, uma vez que as tentativas que nós fizemos para contactar quer os suspeitos, quer as vítimas foram todas infrutíferas, porque estávamos a trabalhar com muita falta de informação», acrescentou.


As três vítimas que estava fechadas numa divisão da casa não tinha forma de contactar o exterior. Saíram de casa pelo próprio pé ainda que «em choque». A PSP confirma que houve relatos de agressões, mas no geral as vítimas «estão bem». 

A polícia explica ainda que terá ocorrido «um roubo», mas não um sequestro, e que os assaltantes saíram da casa. 

A PSP de Aveiro tinha adiantado que a habitação fica junto à Rotunda do Barreto, no Furadouro, junto de vários estabelecimentos.

Testemunhos recolhidos pela TVI no local dão conta de que os populares ouviram os gritos de socorro dos reféns e chamaram as autoridades. 

«Alguém viu dois a entrarem dentro da casa e dois a fugir num Audi preto», contou no local uma testemunha à TVI.


A polícia não confirma a informação e adianta que o caso foi entregue à Polícia Judiciária que está agora no encalço dos suspeitos em fuga.