Cerca de um milhar de pessoas aguarda, no Largo da Estrela, a chegada da urna do ator Nicolau Breyner para uma homenagem pública no átrio da Basílica da Estrela, onde está a ser celebrada missa de corpo presente.

Ao longo da manhã e princípio da tarde, foram várias as personalidades e anónimos que se deslocaram à Basílica para prestar uma homenagem ao ator, sobre o qual repetiram os elogios: “Grande artista”, “homem generoso”, “grande amigo”, “artista versátil”, “homem que tanto ria como chorava” e “generoso com os colegas”.

O general Ramalho Eanes foi uma das personalidades que esta quarta-feira prestou uma última homenagem ao ator.

O ex-Presidente da República afirmou à agência Lusa que Nicolau Breyner "era um homem honrado, amava a vida e todos aqueles com quem trabalhava".

Marcou de forma excelente a ação cultural portuguesa, soube fazer bem e conseguiu sempre uma interação entre a alegria, o empenho e a generosidade", disse Ramalho Eanes.

Portugal está de luto”, disse o arquiteto Troufa Real, que se deslocou à Basílica da Estrela, com o ministro da Cultura, João Soares, que afirmou: “O arquiteto sintetizou tudo o que se pode dizer sobre este grande artista”.

Entre atores e colegas de palco, pela Basílica da Estrela passaram António Calvário, que contracenou com Nicolau Breyner em dois filmes, “Sarilho de fraldas” e “O diabo era outro”, o cantor Vítor Espadinha, os locutores de televisão Eládio Clímaco, Helena Ramos e Nuno Eiró, o encenador Filipe la Féria, os atores Tiago Teotónio Pereira, Diana Monteiro, Maria do Céu guerra, Eunice Muñoz, Fernanda Serrano, Pedro Lima, Margarida Marinho, Virgílio Castelo, Tozé Martinho, Rui Mendes, o fadista João Braga, o cantor Vitorino, o ex-futebolista Toni e o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes.

O presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, foi outra das personalidades a deslocar-se à Basílica da Estrela.

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou um voto de pesar pelo falecimento do ator, lembrando-o como um "grande profissional multifacetado, companhia de gerações de portugueses".

O voto foi subscrito por todos os vereadores e pelo presidente da Câmara, Fernando Medina, em reunião privada do executivo.

Também a Assembleia da República aprovou esta quarta-feira um voto de pesar unânime pela morte de Nicolau Breyner, com um "sorriso e com carinho", além de palmas após minuto de silêncio.

Adorado pelos inúmeros amigos e público, quando questionado sobre como quereria ser lembrado quando morresse, respondeu que desejaria que tivessem gostado dele e o recordassem com um sorriso e com carinho. Não era preciso dizer, Nicolau!", leu-se no texto sobre o humorista, que foi candidato autárquico pelo CDS-PP em Serpa, sua terra natal.

O público aguarda, nas escadarias da Basílica, em grande silêncio, ouvindo-se dizer, com regularidade, que Nicolau Breyner era como um familiar.

Não é o facto apenas de ele nos entrar todos os dias em casa e de ter crescido com ele, que me faz senti-lo como familiar, era pela amplitude humana que ele sempre entregou a cada uma das suas personagens e a forma como se afirmava no meio do espetáculo, que olhava para ele sempre como alguém da minha família”, disse Tiago Moura, de 26 anos.

No centro do átrio exterior da Basílica está colocada uma estrutura, sob tapetes vermelhos, onde será colocada a urna do ator após a celebração da missa de corpo presente na nave central do templo.

"Após a celebração da missa, a urna será transportada para o átrio central exterior da basílica, para uma homenagem pública ao ator", disse à Lusa fonte da funerária.

Os serviços funerários reúnem, em quatro carretas, centenas de coroas – uma das quais da Presidência da República - , ramos e muitas flores isoladas, que as pessoas foram colocando junto à urna.

A Polícia de Segurança Pública reforçou o dispositivo no Largo da Estrela.

Fonte da polícia de trânsito de Lisboa disse à Lusa que quando se realizar a saída da urna da Basílica da Estrela está previsto "um corte do trafego até ao cortejo fúnebre se formar e seguir para o cemitério do Alto de S. João".

Este corte de trânsito afeta a circulação rodoviária na Rua da Estrela, a Rua Domingos Sequeira, na Avenida Infante Santo, no Largo da Estrela, na Rua João de Deus e na Calçada da Estrela.