Cerca de duas centenas de pessoas assistiram este sábado à missa fúnebre do ex-ministro socialista da Juventude José Lello, que foi recordado pelos "amigos e camaradas" como um "homem combativo", de "personalidade radiante" e com um "grande sentido de humor".

Ao funeral do também ex-secretário das Comunidades assistiram personalidades de vários quadrantes políticos e da sociedade, como Marco António Costa, Luís Montenegro (ambos do PSD), Honório Novo (PCP) e muitas figuras da "família socialista", desde o ex-primeiro-ministro José Sócrates, a João Soares, Renato Sampaio, Manuel Pizarro, aos ministros Augusto Santos Silva, João Pedro Matos Fernandes, e, em representação da Assembleia da República e do Presidente da República, Ferro Rodrigues.

É um momento triste para todos nós. Conheço José Lello desde os anos 80, estivemos dentro do PS, muitas vezes em circunstâncias e apoios diferentes, mas fomos sempre amigos, tivemos uma amizade divertida, porque ele era uma daquelas pessoas de sentido de humor, uma pessoa que era o contrário da morte, era pela vida e pela graça de não se levar demasiadamente a serio, embora levasse a serio as funções que desempenhava", recordou Ferro Rodrigues.

A personalidade "divertida" do ex-governante foi mesmo uma das características mais apontadas pelos camaradas e amigos: "José Lello era uma personalidade radiante, de confiança, de realização pessoal, otimsmo, vontade e ambição. Era um político que irradiava contentamento e alegria e, por isso, deixa um grupo de amigos tão vasto", salientou José Sócrates.

O ex-primeiro ministro e também ex-secretário-geral do PS lembrou ainda o papel de José Lello dentro do partido que liderou.

Era um político cuja biografia se confunde com a construção do Partido Socialista. O José Lello esteve empenhado na construção de um grande partido popular, como é o PS. E ele era também um político muito popular", disse.

Para Manuel Pizzaro, antigo líder do PS-Porto, Lello "ultrapassa em muito as fronteiras" do Partido Socialista: "Era um homem da vida política nacional e era um homem profundamente ligado ao Porto. Aquilo que mais recordo dele era um estilo de intervenção política muito particular. Ele era ao mesmo tempo muito combativo e muito afetivo", recordou.

Natural do Porto e engenheiro de formação, fez parte dos governos liderados por António Guterres, primeiro como secretário de Estado das Comunidades (XIII Governo Constitucional) e, depois, como ministro da Juventude e do Desporto (XIV Governo), tendo sido também deputado na Assembleia da República, cargo que abandonou após as legislativas de 2015.

Entre outros cargos, o socialista foi também administrador da Philips Portuguesa, presidente do Conselho Fiscal da Nacional Gás e vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria Árabe-Portuguesa.

José Lello era membro do Conselho Geral do Boavista e foi presidente da Assembleia Geral e do Conselho Fiscal do clube, em mandatos anteriores.