O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, anunciou este domingo que as associações humanitárias de bombeiros voluntários vão ter acesso a fundos comunitários para procederem à renovação do parque de viaturas de combate a incêndios. A garantia foi deixada pelo governante durante a inauguração das obras de ampliação e de remodelação do quartel dos Bombeiros Voluntários de Mêda, no distrito da Guarda.

"Até aqui os fundos comunitários cobriam as viaturas que ardiam nos fogos florestais e nós agora decidimos que não é assim. É que as viaturas também envelhecem sem arder, portanto, temos que as substituir."

Jorge Gomes explicou à agência Lusa que o Governo criou "um programa específico" para "requalificar o parque de viaturas de combate a incêndios através dos fundos comunitários". "Isso é uma coisa que altera todo o sistema que tem estado a ser aplicado nestes últimos três/quatro anos", afirmou.

O secretário de Estado adiantou que os avisos para as candidaturas para substituição de viaturas serão abertos no mês de maio e, em abril, sairão os avisos relacionados com obras de ampliação e requalificação de quartéis, que terão novos critérios.

O secretário de Estado disse que quando o Governo iniciou funções encontrou 69 candidaturas para remodelação de instalações e apenas três tinham sido aprovadas.

Se se mantivessem essas candidaturas, já pelos novos critérios, "47 estavam aprovadas", garantiu.

"Alterámos esses critérios, o que vai permitir abranger muitos mais quartéis a nível nacional e sobretudo nas áreas que convivem com a floresta", justificou.

Ouvido pela Lusa, o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Soares, considerou de "muito importantes" os anúncios feitos pelo secretário de Estado da Administração Interna.

"São novidades muito importantes que nós temos vindo a reivindicar há muito tempo", afirmou o dirigente.

Jaime Soares disse temer que as verbas "possam ficar um pouco aquém daquilo que são as necessidades", mas adverte que "Roma e Pavia não se fizeram num dia".

"É preciso é sentirmos esta abertura e vontade de colaboração e vontade de responder às solicitações dos bombeiros portugueses", afirmou.

O responsável saúda o anúncio e diz que a entidade que lidera continuará "a dialogar" e a "fazer propostas que digam respeito a este tipo de infraestruturas e de equipamentos, mas também das reformas que são importantes e que estão na ordem do dia para os bombeiros portugueses".

As obras de ampliação e remodelação do quartel da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mêda custaram 306 mil euros e foram comparticipadas em 260 mil euros por fundos europeus.

A intervenção contemplou, entre outras áreas, a ampliação e a criação de camaratas, a criação de uma sala de formação, a ampliação da sala de comando e do parque de viaturas.

O presidente da direção, Paulo Amaral, referiu no ato inaugural que as obras permitem "melhorar as condições de trabalho e de descanso" dos 64 voluntários.