Guilherme d'Oliveira Martins demitiu-se do Tribunal de Contas e vai para a administração da Fundação Calouste Gulbenkian, segundo apurou a TVI.

Ocupava o cargo desde 2005, cargo que acumulava atualmente com a presidência do Conselho de Prevenção da Corrupção e do Centro Nacional de Cultura.

Nascido em Lisboa, Guilherme d' Oliveira Martins tem 61 anos, licenciou-se em Direito e foi assistente na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, entre 1977 e 1985.

Foi também consultor jurídico dos Ministérios das Finanças e da Indústria e Comércio, entre 1975 e 1986, e director dos Serviços Jurídicos da Direcção-Geral do Tesouro.

Durante o Governo de António Guterres ocupou os cargos de Secretário de Estado da Administração Educativa, Ministro da Educação, das Finanças e da Presidência.

Posteriormente foi deputado e vice-presidente da direcção da bancada socialista na Assembleia da República, cargo que abandonou em 2005 para assumir funções na presidência do Tribunal de Contas.

Entre outros cargos que exerceu, contam-se os de representante da Assembleia da República na Convenção para o Futuro da Europa, secretário-geral da Comissão Portuguesa da Fundação Europeia da Cultura, presidente da SEDES e vogal do Conselho de Administração da Fundação Mário Soares.