A Polícia Judiciária constituiu, esta terça-feira, dois arguidos numa operação que pretendeu acabar com “a ação concertada de funcionários [das Finanças] que acediam de forma ilegítima" a informação privada e confidencial de terceiros.

Em comunicado, a PJ refere que foram realizadas duas buscas domiciliárias e efetuadas pesquisas informáticas aos postos de trabalho dos funcionários suspeitos, que acediam a elementos confidenciais na rede informática da Inspeção-Geral de Finanças.

A polícia apreendeu também os sistemas informáticos utilizados, que serão agora submetidos a análise digital forense, prosseguindo a investigação para se saber a “extensão da atividade criminosa”.

A operação Bug foi realizada por elementos da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica (UNC3T) em colaboração com a Inspeção-Geral de Finanças.