Várias secretarias do Governo Regional da Madeira anunciaram esta quinta-feira que vão desencadear as operações de limpeza das habitações e fazer o levantamento dos prejuízos nos terrenos agrícolas na sequência dos incêndios que fustigaram a ilha.

Uma nota emitida hoje pela Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais madeirense informa que “em articulação com a Delegação Regional do Corpo Nacional de Escutas, vai promover a ajuda às populações afetadas pelos incêndios, nomeadamente nas operações de limpeza das suas habitações, quando seja possível o regresso às mesmas”.

Nesta informação do departamento tutelado por Rubina Leal que também tem a pasta da Proteção Civil no executivo insular, pode ler-se que “a constituição de equipas e a coordenação destas ações será efetuada pela Delegação da Cruz Vermelha Portuguesa (Largo Severiano Ferraz), local para onde devem dirigir-se as pessoas que desejem colaborar” neste tipo de ação.

Também a Secretaria Regional da Agricultura e Pescas divulgou uma nota apontando que, na sequência dos graves incêndios que se registaram desde segunda-feira na Madeira, “irá proceder ao reconhecimento e inventariação dos prejuízos causados”.

Para o efeito, refere que foi enviado um formulário às juntas de freguesia para declaração de prejuízos pelos incêndios.

Foi enviado às juntas de freguesia um formulário para declaração de prejuízos na agricultura, instando que os agricultores afetados contactem as autarquias correspondentes às áreas afetadas.

Diversos incêndios deflagraram na segunda-feira na ilha da Madeira, em vários concelhos da região, tendo o Funchal sido o município que registou as situações de fogos mais complexas.

Os incêndios provocaram três vítimas mortais, dois feridos graves, mil desalojados temporários, 150 habitações danificadas num balanço provisório e avultados prejuízos materiais.