O açúcar da fruta, chamado frutose, pode aumentar de forma significativa o desejo por alimentos de alto teor calórico. Esta é a conclusão de um estudo, realizado pel a Universidade do Sul da Califórnia, nos EUA, no qual foram observadas as reações do cérebro depois dos indivíduos consumirem diferentes tipos de açúcar.

De acordo com a BBC, aos 24 voluntários que aceitaram participar no estudo, os investigadores deram uma bebida com sabor a cereja adoçada com frutose ou glicose. Alguns dias depois, repetiram a experiência, mas com o açúcar que não tinha sido dado anteriormente. Por exemplo, se no primeiro dia tiver sido dada a bebida com frutose, no segundo dia a bebida ingerida seria adoçada com glicose, e vice-versa. Para que o estudo fosse fidedigno, os participantes não foram informados sobre o açúcar estavam a ingerir. 

Através de análises cerebrais realizadas nos dias em que decorreu o estudo, foi possível constatar que o cérebro dos indivíduos reagiu mais rapidamente a imagens de alimentos quando as pessoas tinham ingerido a bebida enriquecida com o constituinte de fruta (frutose).

Os investigadores do estudo publicado no jornal de medicina "PNAS" observaram ainda que, ao longo do dia, a bebida com frutose levou a que as pessoas tivessem mais apetite e maior desejo por doces. 

O açúcar é diferente de alimento para alimento podendo ser designado de diversas formas como sacarose, quando encontrado na cana de açúcar ou na beterraba, dextrose, que se pode encontrar no milho, e maltose, açúcar que constituí os vegetais.

Apesar da frutose e da glicose terem a mesma quantidade de calorias, a reação do corpo aos diferentes açúcares dá-se de diferentes formas. 

"Comer frutose e glicose isoladamente é muito diferente de ingeri-las em alimentos, em que temos outros nutrientes a interagir e que podem afetar a digestão. Por exemplo, a frutose na fruta é mantida na estrutura celular do alimento e o teor de fibra retarda a libertação de frutose na corrente sanguínea. A fruta também contém uma grande quantidade de água e demora algum tempo a ser mastigada e digerida pelo que a frutose não é imediatamente libertada", explicou Priya Tew, a nutricionista da Associação Dietética Britânica.

É bom lembrar que a fruta também contém fibras, vitaminas e minerais e por isso é sempre uma excelente alternativa aos alimentos ricos em vários tipos de açúcares, hidratos de carbono e alto teor de gordura. 

Para a Associação Dietética Britânica, devemos moderar o consumo de sumos de fruta (cerca de 150 mililitros por dia) que não contêm todos os nutrientes da fruta, mas pelo contrário possuem um grande teor de açúcar.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a quantidade de açúcar aconselhada é de seis colheres de chá por dia, pelo que as pessoas devem evitar ou controlar o consumo de bolos, biscoitos, chocolates, refrigerantes e sumos de fruta, que ultrapassam essa meta.