O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) disse, esta sexta-feira, ter identificado 43 cidadãos, dos quais 14 nacionais e 29 estrangeiros, no decorrer de uma ação de fiscalização nos distritos do Braga, Porto e Vila Real.

O objetivo desta operação foi controlar a permanência de cidadãos estrangeiros e dissuadir a exploração de trabalhadores imigrantes em situação ilegal.

No âmbito desta ação foram fiscalizados nove estabelecimentos: dois restaurantes e dois armazéns de venda a retalho em Braga, um restaurante em Barcelos, um armazém na Varziela/Vila do Conde, um restaurante na Maia, uma loja em Amarante e uma loja em Vila Real.

O SEF refere, em comunicado, que três cidadãos estrangeiros encontravam-se a trabalhar e em situação de ilegalidade em Portugal, dos quais dois em restaurantes - Braga e Amarante - e um em armazém de venda a retalho em Braga.

Acrescenta que dois desses cidadãos foram notificados a abandonar voluntariamente o país e o outro a regularizar a situação documental. Às entidades patronais responsáveis foram instaurados três processos de contraordenação, cujos valores se situam entre seis mil euros e os trinta mil euros.