A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro deteve um empresário de sucatas, de 34 anos, suspeito da prática de crimes de fraude fiscal e branqueamento de capitais, que terá lesado o Estado em cerca de dois milhões de euros.

«Os crimes em investigação assentavam na utilização de faturas falsas com o objetivo de empolar os custos de uma empresa, o que, em consequência, conduzia a uma menor liquidação em sede de IRC», refere a PJ em comunicado que a Lusa cita.

Desta forma, o suspeito terá apresentado «custos acrescidos, fraudulentos», no valor aproximado de oito milhões de euros, no período de quatro anos fiscais, que resultaram num prejuízo direto para o Estado Português de cerca de dois milhões de euros.

Os investigadores apuraram ainda que o empresário, que teve firmas no ramo dos materiais não ferrosos nos distritos de Aveiro (Oliveira do Bairro e Santa Maria da Feira) e Viseu (Vouzela), transferiu todo o seu património para outros países.

O detido vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para eventual aplicação de medidas de coação.