A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar uma onda de fraudes com contas de pagamentos na internet. O esquema de «phishing» («pescar» dados) que está a circular pede aos utilizadores de contas PayPal para facultarem dados pessoais, alegando que a conta está bloqueada.

O email não é muito diferente de outros que circulam com pedidos adicionais de dados dos utilizadores, neste caso relacionando as contas PayPal.

De acordo com a edição desta quinta-feira do «Diário de Notícias», a Polícia Judiciária diz que este tipo de esquemas está a aumentar de intensidade e que os meios alternativos de pagamento na internet são particularmente vulneráveis a esquemas deste género.

Como acontece noutros esquemas de «phishing» o email está escrito em português, mas com falhas que permitem a um leitor mais atento detetar incorreções que podem deixar o utilizador em alerta. O alegado bloqueio da conta é o «mote» para levar os clientes da PayPal a preencher um formulário que recolhe dados adicionais que permitirão aos «crackers» aceder às contas.

A PayPal admitiu que o esquema é fraudulento e pede a todos os utilizadores que recebam a mensagem que alega ser proveniente do remetente Paypal Europa para a reenviarem para o email spoof@paypal.com para que se proceda ao seu bloqueio.

O Paypal é um sistema de transferências de dinheiro na internet que funciona independentemente do país ou da moeda de origem do emissor e do recetor. É considerado um sistema seguro já que não pressupõe o acesso direto à conta bancária do utilizador. Existem atualmente cerca de 150 milhões de clientes da PayPal, que é um dos serviços mais visados pelos esquemas de «phishing» na internet.