A Guarda Nacional Republicana aplicou mais de 17 mil multas, num valor superior a quatro milhões de euros, em 2015 no âmbito da fraude e evasão fiscal, de acordo com dados divulgados esta terça-feira pela corporação.

No âmbito das comemorações do 105º aniversário da GNR, o comandante-geral daquela força de segurança, tenente-general Manuel Mateus Couto, destacou o reforço ao combate à fraude e evasão fiscal e aduaneira desenvolvida pela corporação em 2015.

Nesse sentido, a GNR apreendeu mercadoria no valor superior a dois milhões de euros e levantou mais de 17 mil autos, ascendendo a mais de quatro milhões de euros, de coimas aplicadas.

De acordo com a Lusa, o tenente-general adiantou que, em 2015, a GNR investigou 5.744 processos, estimando-se num valor de 148 milhões de euros no âmbito da fraude e evasão fiscal.

Num balanço da atividade desenvolvida pela GNR em 2015, o comandante-geral da corporação disse também que foram detidas 20.927 pessoas, 4.302 das quais resultaram de diligências de investigação criminal.

Em matéria de segurança e fiscalização rodoviária, a GNR fiscalizou mais de 1.400 milhão condutores e identificou aproximadamente 16 mil crimes em 2015.

No domínio da proteção da natureza e do ambiente, os militares da corporação realizaram cerca de 158 mil fiscalizações, num total de 68.500 patrulhamentos, dos quais resultaram 2.849 crimes e 157 detenções.

A GNR registou ainda, no ano passado. 5.864 crimes e 74 detenções no âmbito da defesa da floresta contra incêndios.