logotipo tvi24

Ocupas da escola da Fontinha despejados

Polícia no local. Três detenções não confirmadas oficialmente e notícia de confrontos com a polícia

Por:
/ Sara Marques e Pedro Monteiro    |   2012-04-19 10:18

ATUALIZADO ÀS 13:20

O grupo de ocupas que estava instalado na Escola da Fontinha, no Porto, foi despejado por várias dezenas de polícias.

Fonte da PSP do Porto confirmou à TVI que se trata de uma «ação de desocupação do espaço» em coordenação com a polícia municipal. Não avançou com número de efetivos, dizendo apenas que «tudo está a correr bem, sem qualquer tipo de incidentes».

Segundo informações recolhidas no local foram detidas três pessoas, um jovem terá sido atingido por um taser e há notícias de confrontos, mas a PSP só confirmou oficialmente que duas pessoas foram levadas para a esquadra.

A PSP do Porto confirmou à Lusa que duas pessoas «foram intercetadas já fora do perímetro de segurança» da ação de despejo do movimento Es.Col.A, devido a «injúrias e agressões» a agentes daquela força policial.

Os ânimos exaltaram-se à porta da escola e a população, juntamente com os elementos do movimento, decidiram fazer assembleia no largo da Fontinha.

Numa mensagem enviada para o exterior por um dos elementos que está no local é relatado que há pessoas confinadas em espaços e que há muita polícia de intervenção no local: «Ultrapassaram a barricada a porta passando as grades com escadas. Desfizeram a barricada por dentro e prenderam o pessoal».

Ana Afonso, do coletivo instalado no edifício da antiga escola desde 2011 confirmou a desocupação: «Estão aqui 20 carrinhas da polícia, vários carros e um cordão policial. O bairro está todo cercado. O despejo está a ser feito de forma violenta: uma moradora disse-me que estavam a bater nas pessoas».

A escola do Alto da Fontinha, no Porto, foi ocupada há um ano por um grupo de pessoas que a transformou num centro social totalmente independente. Era um espaço desocupado e que foi aproveitado para dinamizar a zona. O projeto ES.COL.A (espaço coletivo autogestionado do Alto da Fontinha) é considerado ilegal pela câmara do Porto.

No último «Combate de Blogs», da TVI24, o jornalista Nuno Ramos de Almeida explicou o processo, tal como também já tinha sido relatado numa reportagem no jornal «i». Foi dos poucos jornalistas autorizados a entrar no local.

Partilhar
FOTOGALERIA:
Desocupação da Escola da Fontinha

ES.COL.A da Fontinha EM CIMA: ES.COL.A da Fontinha

Há 12 portugueses na «jihad» islâmica
O autoproclamado Estado Islâmico da Síria e do Iraque conta com a participação de vários jovens emigrantes de segunda e terceira geração
As férias podem ter terminado, mas o verão não
Veja como vai estar o tempo
Nova avaria em avião da TAP
Voo que ia do Porto para Milão teve de aterrar 10 minutos depois do início da viagem
EM MANCHETE
CGTP quer salário mínimo de 540 euros
Inter quer ainda aumentos de 3%. Sindicalistas vão discutir reivindicações para 2015, mas da reunião pode sair ação de luta em outubro ou novembro
Governo deixa cair aumento da TSU e do IVA para 2015
Nova avaria em avião da TAP