O Banco Alimentar contra a Fome inicia hoje mais uma campanha «online» de recolha de alimentos, numa altura em que os pedidos de ajuda continuam a aumentar, disse à Lusa a presidente da instituição, Isabel Jonet.

A campanha, que decorre em www.alimentestaideia.net, permite a participação de pessoas que habitualmente não se deslocam ao supermercado ou que residam fora de Portugal, nomeadamente os emigrantes.

Esta campanha antecede a tradicional campanha de recolha de alimentos nos supermercados, a realizar no próximo fim de semana, em 1995 estabelecimentos comerciais de todo o país, e a campanha «Ajuda Vale», que vai terminar a 07 de dezembro,

A presidente da Federação Portuguesa dos Banco Alimentares, Isabel Jonet, adiantou que, durante o fim-se-semana, 42.000 voluntários irão estar à porta das lojas a convidar «os portugueses a serem mais solidários com as pessoas mais carenciadas da sua região».

Segundo a federação, as famílias, os desempregados, crianças e idosos são os grupos mais afetados pela crise económica, aumentando significativamente os pedidos de apoio e a necessidade de a instituição alargar a sua capacidade de resposta às instituições sociais que apoiam.

«Na senda do que vem sendo habitual nos últimos dois anos regista-se um acréscimo dos pedidos de apoio às instituições, há mais pessoas com necessidades», disse Isabel Jonet.


Isabel Jonet adiantou que, «apesar dos números apontarem para alguma recuperação económica, ela ainda não terá chegado às famílias».

«Estamos a falar de famílias de menores recursos, que são apoiadas pelas instituições, famílias que vivem muito no limite e se encontram endividadas e para quem o regresso ao emprego ainda não é uma realidade», sublinhou.


A campanha «online» do Banco Alimentar Contra a Fome, que decorreu em dezembro do ano passado, angariou quase 100 toneladas de alimentos, no valor de 112.700 euros.

O Banco Alimentar realiza, duas vezes por ano, três campanhas: a campanha «online», a tradicional recolha de alimentos nos supermercados e a campanha «Ajuda vale», em que as pessoas podem comprar, na caixa dos supermercados, vales de seis produtos selecionados.