Um total de 3.316 operacionais esteve envolvido até às 18:45 no combate a 134 incêndios que estiveram ativos esta quarta-feira em Portugal continental, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

No combate aos 134 incêndios, refere a Proteção Civil na sua página na Internet, estiveram também envolvidos 810 meios terrestres e foram usados por 89 vezes os meios aéreos.

Das 134 ocorrências, seis continuam em curso, nomeadamente nos concelhos de Pinhel, Ponte de Lima, Valpaços (com dois fogos), Monção e Ansião.

A Proteção Civil só destaca na sua página na Internet ocorrências com mais de três horas desde o seu início e com mais de 15 operacionais.

Às 18:45, a Proteção Civil informava que não havia “ocorrência significativas ativas”.

Das restantes ocorrências, 78 estão dadas como encerradas (quando termina a presença de meios no local), 39 em conclusão (incêndio extinto, com pequenos fogos de combustão), três em vigilância (meios no local para atuar em caso de necessidade), seis em resolução (incêndio sem perigo de propagação para além do perímetro já atingido) e três em alerta (meios em trânsito para o local do fogo).

Segundo a Proteção Civil, das 134 ocorrências registadas até às 18:45, o maior número ocorreu no distrito do Porto com 34 incêndios.

Viana do Castelo, com 13, e Braga, com 12, foram os outros dois distritos onde se registou o maior número de incêndios.

Em quarto lugar, com 10 incêndios, aparecem os distritos da Guarda e de Santarém.

Beja, Castelo Branco, Portalegre e Setúbal foram os distritos onde apenas existiu uma ocorrência até às 18:45.

No mês de julho, segundo as estatísticas da Proteção Civil foram registados 4056 incêndios.

Desde o início de agosto e até terça-feira, foram registados em Portugal continental 515 incêndios.

Os dias 04 e 05 de abril continuam a ser os dias, desde o início do ano, em que foram registados mais incêndios, com 243 e 206, respetivamente.